30 de jun de 2009

São João, Parte I

(A viagem)

Alguns dias antes do São João eu recebo a noticia que ia trabalhar dia 22, a primeira coisa que veio na minha cabeça foi “São João cancelado!”. Avisei a todo mundo que não iria mais viajar e passei o resto do dia chorando. Quando me acalmei um pouco pensei na ligação de Rai (muito doce por sinal) e decidi que não ia perder isso por nada. Sairia daqui logo depois do trabalho e ainda chegaria a tempo pro arraia.
Comprei a passagem 5 dias antes e resolvi ir pra camaçari no fds, não estava nem um pouco afim de ficar em casa imaginando o que estaria acontecendo em cruz.
Sábado a rodoviária estava um inferno, comprei a passagem e fui pra Camaçari. Quando cheguei lá fui no são, arrumei minhas unhas, volti em casa, tomei um banho e subi na garupa da moto, fui conhecer a cidade. E ele era lindo!
Fui na inauguração da praça, dancei e me diverti muito. O domingo amanheceu muito frio e eu não tinha levado casaco, por isso decidi que não sairia de casa por nada. Me enrolei no cobertor, deitei na cama e passei o dia lendo. No meio da tarde me perguntaram se eu queria ir no Forró da Mata, mas ninguém me faria sair naquele frio. Não fui no primeiro dia de arraiá.
.No dia seguinte acordei cedo pra trabalhar e aconteceu mais uma daquelas coisas que só acontecem comigo. O ônibus simplesmente não passava, depois de uma hora e meia descobrimos que o ônibus estava fazendo outra rota. Como já estava atrasada peguei o primeiro ônibus que passou. Quando desci no ponto, vi que tinha duas ladeiras, uma que ia pra o Barbalho e outra eu ia pra Nazaré, escolhi uma e subi e como já era de se esperar, era a errada. Só descobri isso quando estava lê em cima, tive que descer de novo e subir a outra, mas como ainda era pouco, começou a chover. MUITO!
Cheguei no trabalho cansada, molhada e atrasada. Fui liberada bem mais cedo e como meu ônibus só sairia em 4 horas, fui pra casa, tomei um banho, comi brigadeiro, peguei minhas coisas e fui pra rodoviária. Chegando lá fui direto ao desembarque. Vi a hora em que ela chegou, mas como não tinha certeza esperei uns minutos, foi quando chegou um amigo dela e achei que estava enganada, já que tinha alguém esperando por ela. Peguei minhas coisas e fui pra o embaqrue e um pouco antes do ônibus chegar ela apareceu desesperada, não tinha mais passagens pra cruz e ela não tinha onde ficar. Pedi que ela se acalmasse, que eu ia dar um jeito, mas não fazia idéia de como eu ia resolver. Fui conversar com o carinha do alto falante, mas o maximo que ele me disse foi: Vai ter que esperar, Senhora.
Quando por fim o ônibus chegou, todo mundo já tinha entrado quando desce um homem avisando que ainda tinha vaga. Missão cumprida! Estava a caminho de cruz e ela estava do meu lado. Achei que nada poderia melhorar isso quando ele me liga e diz: Dani, só liguei pra avisar que vou pro arraia hoje, viu?
Quando desliguei só olhei pro lado e disse: Júh, era ele avisando que vai pro arraiá.

Agora sim a noite prometia ser perfeita!

Continua amanhã...

29 de jun de 2009

Enfim...

Passei a ultima semana de aula pensando no que eu faria quando finalmente entrasse em férias, por mais que eu só tivesse as noites livres e tivesse que trabalhar todos os dias de manhã, eu comecei a fazer planos.
Chegou o meu primeiro fds de férias. Pensei em passar o fds inteiro lendo, mas logo apareceram outras coisas pra fazer, além disso meu livro estava acabando e eu corria o risco de passar o fds sem poder fazer nem isso. Sabado fui no shopping com minha prima levar minha princesa pra passear e comprar os presentes de aniversário dela. Entramos em uma loja pra comprar o vestido que a Bisa queria dar a ela, ô castigo! Dava vontade de comprar todas aquelas roupinhas e fazer dela minha boneca (preciso de um afilhado urgente!rs). Depois fomos a loja de brinquedos... pronto! Não sabia quem era mais criança, ela escolheu o presente e fomos pra casa. O sabado não poderia ter sido melhor.
Domingo tinha jogo do Brasil. Acordei, tomei um banho, vi minha princesa chegar e fomos pra casa de minha tia. Não lembro de ter gritado tanto em um jogo, enquanto eu gritava: Coloca Daniel Alves. Nina gritava: Coloca Nilmar!
Dunga me ouviu!
Por fim o Brasil vence e aí sim gritamos com vontade. Campeão da Copa das Confederações. Aeeew!=D
Voltei pra casa e finalmente peguei um livro pra ler (Graças a Deus minha prima me emprestou um). Eu deveria ter imaginado, o livro era bom demais e eu simplesmente não consegui dormir. Primeiro porque eu não queria parar de ler e segundo porque histórias de "amor" me fazem pensar demais. Ontem eu consegui chegar a milhares de conclusões pra um mesmo caso, mas por fim me decidi pela ultima conclusão: O amor existe, mas não é pra mim e é melhor eu esquecer logo toda essa história.
Enfim, Fim de semana muito produtivo. Vi minha "filha", assisti futebol com minha prima, li bastante e dei um basta nos meus problemas amorosos, pra que melhor?
E ainda descobri que minha mãe é a única que não quer ver a filha na UFBA de jeito nenhum!oO
*
*
*
Ôbs: Eu sei que tô devendo post do São João, mas eu dividi minha festa Junina em quatro capitulos, portanto a partir de amanhã (até sexta) vocês vão ter muito o que ler. =D
*
*
*
Até amanhã!


21 de jun de 2009

Ordem Internacional das Filhas de Jó




Já faz alguns anos que venho me interessando pela maçonaria, vivia pesquisando, perguntando coisas a meu avô e lendo tudo que eu encontrasse que dissesse reespeito a isso. Até que em uma das minhas pesquisas eu encontrei as Filhas de Jó, que é um ordem formada por meninas de 10 a 20 anos e que tem ligação com a maçonaria.


Ná época eu morava em muritiba e o Bethel mais próximo que tinha era em Feira de Santana e ficaria dificil ir as reuniões regularmente, por isso decidi pedir ao Venerável mestre da loja de São Felix para criarmos um Bethel lá. A idéia foi recebida com muito entusiasmo e começamos a trabalhar nisso. Reunimos o numero de meninas necessário, planejamos tudo e finalmente fomos iniciadas e montamos o Bethel.

Dois dias após a iniciação recebi a noticia: Tinha passado no vestibular e estava de mudança pra Salvador.

Dois sonhos realizados ao mesmo tempo e decidi não desistir de nenhum, fui pra Salvador e continuei frequentando as reuniões. Como Honorável Rainha, eu não podia faltar nenhuma reunião e algumas vezes precisei contar com a compreensão das meninas, porque não dava mesmo pra aparecer.

Trabalhamos muito, passaram os primeiros 6 meses, mas ainda não tinhamos conseguido fazer uma iniciação e o Bethel ainda não estava em condições de ter uma nova Honorável, portanto fiquei no cargo por mais 6 meses. Durante esse tempo trabalhamos muito e finalmente chegou o grande dia, íamos iniciar mais três meninas nas Filhas de Jó.

Fiquei muito nervosa, não lembrava muita coisa do que eu tinha que fazer, mas no final deu tuuudo certo. As meninas foram maravilhosas, estavam lindas e representaram seus papéis muito bem. Passei tanto tempo querendo aquilo, estava feliz e emocionada.

Depois de chorar, do grito de guerra, dos meus cabelos bagunçados, das fotos e da comida, eu estava extremamente satisfeita. Tudo não poderia ter sido mais lindo. Até porque minha mãe e Zuza estavam lá e eu estava realmente feliz com a presença dos dois. (Amo muito vocês)

Finalmente tudo tinha dado certo e acabado bem, as meninas foram iniciadas e agora temos mais três membros na ordem!



Bom, daqui a três meses é a minha vez de "sair" das Filhas, vou completar 20 anos e deixar de ser irmã para ser tia dessas meninas. Isso mesmo, vou passar a ser Tia Dani, membro de maioridade. Então apesar de não me vestir, de não participar das reuniões como membro, eu vou continuar com vocês ajudando no que for necessário pra que as Filhas de Jó continuem crescendo.

Obrigada por tudo que vocês me ensinaram (e olha que foi muito)!



Amo vocês, irmãs!!!=D


_____________________________________________________
P.S.: Esse no quadro da foto, é o meu avô. Ele foi Venerável Mestre da loja maçônica de São Felix. Devo a ele todo interesse que desenvolvi pela maçonaria, devo a ele as Filhas de Jó e tudo que eu aprendi com elas. Infelizmente ele não chegou a ver nossa iniciação, mas tenho certeza que esteja onde estiver, ele ficou muito feliz por tudo. Eu te amo, Vô!

8 de jun de 2009

A bonitinha de Caetano




Desci do ônibus e saí correndo e como sempre, entrei no lugar errado, me disseram o caminha certo e voltei a correr. Achei que aquela ladeira não ia acabar mais, cheguei no fim e entrei correndo, foi quando ouvi aquela gritaria, eram os meninos me chamando. Pronto, a fila inteira já me conhecia....rs
Demorou um pouquinho, mas finalmente o portão abriu e quando o show começou lá estávamos nós, no gargarejo, bem de frente pra ele. Se engraçou com Victor, piscou pra Rike, sorriu pra Raí e me corrigiu (¬¬’). Passamos o show inteiro gritando e Caetano só rindo.
Quando terminou o show, fomos pra o camarim, só faltava ver Caetano de pertinho, mas não nos deixaram entrar. Fotos de um lado, piscadelas de outro, finalmente conseguimos transpor o primeiro portão (logo depois de Raí gritar: Calado, eu tb sou do amor!!!rs). Agora só faltava mais um portão.
Jogamos charme pra todos os lados e nada, chamei o segurança pra conversar e nada, disse q Caetano ia reconhecer a gente e de nada adiantou, o segurança só fez sorrir. Ele que me aguardasse.
Minutos depois, surge Dona Canô, linda e simpática, distribuindo sorrisos e cumprimentando todos. Eu e Raí falamos com ela, agradecemos pelos dois filhos que ela tem e ela foi ainda mais doce. Alguns minutos depois, vem Caetano, quase caio pra trás.
Corremos pra grade e chamamos ele, se aproximou da gente, segurou uma mão de Raí e uma minha, beijos, olhou pra mim e disse: Você tava bem na frente. Gelei, n consegui dizer nada. Reconheceu Raí, que ele disse que estava sentadinha lá na frente e depois se deparou com Victor. Olhou bem pra ele e disse: você é bonitinho, hein?
Foi o suficiente pra quebrar minha tensão, dei muita risada.
Depois ele saiu, tiramos foto e ele disse mais uma vez pra Victor: Você é bonitinho, hein? ( ao todo foram QUATRO VEZES) Aí ele olhou pra mim, apontou e disse: Você também é bonitinha. ( certeza que ele me achou parecida com a irmã!!!rs )
Dei muita risada e ele foi pra o carro. Não perdi a chance de sacanear o segurança, quando ele me viu já começou a dar risada. Chamei ele e disse: ta vendo q eu falei que ele reconheceria? Ele deu risada e falou: ta, você tinha razão. (ahá!rs)
Só aí que eu percebi que não tinha conseguido dizer pra Caetano o que eu queria, fui atrás dele no carro e pedi pra o segurança dar meu recado, mas o sacana não deu. Na hora que o carro tava pronto pra sair, eu vi que ele tava no banco da frente, olhei ele pelo vidro e disse: Você é lindo, lindo, muito lindo! Ele me olhou e abaixou o vidro do carro, aí eu disse de novo, ele sorriu e perguntou meu nome e depois perguntou os nomes de Raí e Victor, se despediu e foi embora.
Pra que noite mais perfeita que essa? Me diz! rs

P.S.: A foto eu coloco aqui depois que ainda não passamos pra o pc...rs

3 de jun de 2009

Trinta e Um do Cinco


Cheguei Tarde...Bem tarde da ainda “noite de sábado!” Mas mesmo assim, às 11 da manhã o celular desperta.
Acordei e pensei – Eu preciso treinar a música.
Música qual ainda se encontrava meio perdida entre tantas músicas.
Treinei, treinei, treinei...
Coloquei meu violão nas costas e fui!
Ela desce, toda saltitante da escada com a sua linda blusinha lilás e me dá abraço sincero...Forte!
Sentamos, conversamos...Atrapalhei as resenhas internas...Colocamos a conversa de lado um pouco...
Então, surge uma questão!
“Toca Dandara pra mim?”.
Naquela hora, pensei – Eu vou acabar com a tarde...Eu acho que eu esqueci a música!
Então, me arrisquei aos primeiros acordes.
A música foi saindo, ela cantando versos outros...Eu tocando acordes outros, muitos outros!
Mas nada como uma boa piada pra não acabar o clima!
Surge uma pergunta!
“Sabe Boa Noite?”.
Pensei – Essa eu sei...Essa eu toco toda!
Sem riscos, os acordes saíram naturalmente...
Eu já vou! – Disse ela.
Saímos. Ela foi pegar a fortuna no Banco, então...Então...
Então eu a levei pro ponto!
As mãos se encontravam naturalmente...
O carro custava a passar!
Na verdade, já tinha passado alguns, assumo.
Mas me fiz de despercebido, porque até ficar em baixo daquela estrutura de metal, com três moleques olhando pra gente foi interessante, de verdade! Foi interessante!
Chegou o carro, ela entrou.
Surge o velho cliché dito por alguém que se preocupa – Se cuida!
Dei as costas... E cheguei à conclusão.

“Eu até me sinto bem com ela”.

Quero tudo de volta.

Preferi acreditar que você não sabia o que tinha acontecido e você realmente não sabia, preferi acreditar que você não seria tão insensível comigo e você realmente não foi, preferi acreditar que o que eu sentia por você já tinha passado e que o que eu sentia era só amizade, mas quanto a isso eu estava errada. Sua voz ainda me conforta, ainda sinto vontade do seu abraço, vontade de estar perto, de fazer aquelas besteiras que a gente só fazia junto, vontade de te ligar pra contar como foi meu dia, de como eu me diverti e como eu finalmente consegui o que tanto queria ou então contar como aquela professora é chata e da minha vontade de sair correndo da sala assim q ela entra ou que passei horas esperando o ônibus na chuva e o quanto eu estou cansada.
Não sei se sinto falta de você ou do que você representava pra mim, agora eu só sei que ficar sozinha é muito diferente do que eu achava, longe da paz que eu esperava, é triste e chato.

Não sei se é bem você que eu quero de volta, mas sei que quero de volta tudo o que eu sentia com você.

1 de jun de 2009




Fazia tempo que não me sentia assim, tão bem, tão feliz e tão viva.
Comecei o dia sem um pingo de vontade de levantar da cama, mas valeu a pena subir naquela moto só pra chegar mais cedo e receber o abraço mais sincero dos últimos dias. Valeu a pena sentar na cama do quarto rosa e dar muita risada das nossas desventuras, de ver que somos parecidas até nos problemas e nas besteiras que fazemos. Valeu a pena descer aquela escada, morrendo de medo de cair e receber o segundo abraço mais sincero do dia, ouvir ele tocando Dandara (ainda que não tenha sido toda.) e Boa Noite (ainda que ele tocasse a versão de Djavan, enquanto eu cantava a de Luciana Mello). Valeu a pena as fotos, as caretas e o terceira abraço mais sincero do dia (aliás, há diiiias que eu tava com saudade desse abraço...), as risadas, os comentários (des)agradáveis, o colo, os beijos e aquela mão segurando a minha. Valeu a pena esperar o carro no ponto, sair correndo pela rua pra chegar logo em casa pq eu só tinha dez minutos até sair o ultimo ônibus, pedir a minha tia pra me levar na rodoviária e viajar em um ônibus lotado com um bêbado reclamando que tinha que viajar em pé, que tava na mira e que ia pra Bocão. E o que eu fiz? dei muita risada pq nada podia estragar todo o bem que o dia tinha me causado e nada podia apagar a alegria que vocês me deram.





Amo vocês! =D