29 de abr de 2009

E depois dizem que heróis não existem...

Acostumada a vê-lo sempre tão forte, dono de suas próprias decisões, independente, de cabeça erguida; não é fácil ver agora tão magro, fraco, de cabeça baixa e dependente das decisões dos outros.
Hoje tudo o que eu queria era ter ele de volta ao meu lado, torcendo pelo flamengo (ouvindo o jogo pelo radinho), tentando me mostrar que nem todo político é corrupto, me falando sobre história, me fascinando com as estratégias de guerra, me ensinando valores, dizendo que aquele era o namorado perfeito pra mim, reclamando da globo, dos vizinhos e dos jovens, me mandando prestar atenção nessa ou naquela música de Nelson Gonçalves ou Adoniran, se divertindo ao som da balada de madame frigidaire e dizendo que isso que é música, não o que se ouve hoje em dia.
E hoje, em seu aniversário, eu queria ele do meu lado me tirando todas aquelas duvidas que eu ainda tenho e me mostrando todas aquelas músicas que eu ainda não conheço.

Só quero que você melhore logo.

Eu te amo e te admiro muito, Vô!

22 de abr de 2009

Desventuras

Parte II


Salvador está praticamente debaixo d’água, está chovendo muito esses dias, o que pra mim não é tão ruim, pelo menos ameniza o calor.rs
Hoje acordei às 5:15 da manhã, como todos os dias, me arrumei e saí (atrasada!) pra pegar o ônibus. Enquanto espero no ponto, passa um bendito Lapa e me dá um banho, respirei fundo e pensei: Calma Dani, o dia está só começando...
Depois de algum tempo esperando, finalmente chega o Barbalho, pelo menos tinha um lugar pra ir sentada (uhu!), o trajeto tava indo muito bem, até chegar na bendita ladeira do Garcia, isso mesmo, aquele engarrafamento gigaaaaante, o ônibus praticamente não andava, o que me fez chegar atrasada no trabalho. Até que o dia hoje foi tranqüilo.rs
Sempre fui muito desligada e desastrada, me perder em linha reta e tropeçar até no vento, é o mínimo que eu faço. Outro dia, as aulas terminaram mais cedo e voltei pra casa antes do habitual, quando entrei no ônibus vi que o cobrador era o mesmo do ônibus que eu pegava normalmente pra voltar pra casa, quando eu finalmente consegui sentar no banco ele olhou pra mim sorrindo e dsse: Hum, voltando mais cedo hoje. E você nem tropeçou na roleta.
Moooorro de vergonha!
Ser conhecida pelo cobrador, por pegar o mesmo ônibus todos os dias é uma coisa, mas ser conhecida pelo cobrador por viver tropeçando na saída da roleta é outra completamente diferente. ¬¬'

19 de abr de 2009

' Outros tantos passarinho...

Vivo dizendo que não me apaixono e que não sei como se faz isso, mas talvez eu não seja tão “durona” quanto eu achava. Vivo me apaixonando, pelas palavras, pelo sorriso, não precisa de muitos motivos, basta um pra eu me apaixonar. Demorei muito pra admitir isso pra mim mesma, porque eu achava que paixão era sinal de fraqueza e que só poderia acontecer com uma pessoa especial, mas alguém me disse que isso é besteira e realmente é, por isso resolvi admitir.
A última paixão que eu tive, tirou meus pés do chão, mexeu com minha cabeça e juízo e me mostrou o quanto pode ser gostosa e perigosa uma paixão. Mas como tantas outras, essa também passou. Deixando um leve gostinho de saudade, mas passou.

“Hoje eu vivo em paz, sozinha
Muitos passarão
Outros tantos passarinho...”

15 de abr de 2009

Não sou acostumada a ficar sozinha, sempre tive muita gente em volta, muitos amigos, minha família, namorado...
Mas depois que eu vim morar aqui, algumas coisas mudaram, meus amigos não estão logo ali na esquina como sempre estiveram, minha mãe e meu irmão não moram mais comigo e namorado...bom, vamos pular essa parte...rs
Claro que eu conheci váárias pessoas por aqui e continuo rodeada de gente, mas não é a mesma coisa, as pessoas daqui normalmente se isolam, colocam um mp3 no ouvido e dane-se o mundo ou então são aqueles amigos de horas felizes, que quando a gente não ta bem, somem. Aquela velha história de estar rodeado de gente e ainda sim estar só.
Antigamente eu tinha vááários abraços por dia e ontem ( e hoje também!) que eu só precisava de um, eu não tive.
Gosto daqui, gosto do meu trabalho, da minha faculdade; mas a minha casa, a minha cidade e o carinho das minhas melhores pessoas fazem muita falta!

9 de abr de 2009

' Esqueci no piano as bobagens de amor



Mentiras sinceras deixaram de me interessar e coisas como “você é linda” ou “adoro seu jeitinho” não me dizem mais nada. Já acreditei em todas essas besteiras e no fim era sempre a mesma coisa, descobria que era tudo mentira, tanto as palavras deles, quanto o que eu sentia.
Sempre tive dificuldade em me apaixonar até pelas mais belas mentiras, mas nos últimos dias eu tinha decidido que já era hora de me apaixonar de novo. Passei a olhar os meninos como 'possível futura paixão', mas nenhum me atraía, graça nenhuma. Continuei procurando, mas tudo que eu consegui foram beijos sem sabor e uma grande sensação de vazio. Resolvi esquecer a história e tirar umas férias de sentimentalidades
e ter um tempo meu. *
Continuo tão vazia quanto antes, mas prefiro assim, melhor do que preencher esse vazio com meias verdades e me arrepender depois.

.
.

*Será que agora eu fui clara?

.

À bientôt!

3 de abr de 2009



Texto escrito em 02/04/2009

Passei muito tempo esperando ouvir aquelas palavras de novo e ontem (justo ontem!) eu finalmente ouvi. Muitas coisas passaram pela minha cabeça, a música, as brigas, as palhaçadas, os planos, a última conversa...
Mas por mais que seja verdade e que eu sinta o mesmo, os planos foram desfeitos e tomamos outros rumos, não dá mais pra voltar atrás. Sinto saudade, sinto vontade de viver tudo de novo, mas já tinha decidido que é hora de começar uma nova história e que não vale a pena se prender ao passado.
Pode ser que muita coisa mude de hoje pra amanhã ou daqui a um mês, mas hoje as mágoas são mais vivas do que o amor que ainda sinto.