25 de dez de 2009

Natal

Tirando todo esse sentimentalismo que envolve o natal, tenho que admitir que uma reunião de familia (ainda que não seja a nossa), é muito válida. É bom ficar perto de pessoas que você gosta, se divertindo jogando bingo, descobrindo os animais estranhos que eles são capazes de ter em casa, desejando que a ceia comece logo pq as tortas estão chamando seu nome, vendo
alegria nos olhos de uns e emoção nos olhos de outros, de repente sorrir por nada ou por alguma besteira que alguém disse e depois sair pra ver os enfeites da cidade e voltar se divertindo com alguém que bebeu um pouquinho a mais (sempre tem alguém que bebeu um pouquinho a mais.rs).
Ouvir alguém dizer que vai esquentar comida no microondas logo depois que falta luz, ainda ouvir reclamar que o microondas não está funcionando e relevar pelo espírito de natal, ver as pessoas que normalmente são tão ríspidas te tratando com carinho, sentar pra ler um livro no meio do churrasco do dia seguinte e ninguém se importar pq pelo menos você tá junto, conhecer gente nova e descobrir que aquela pessoa que você nunca gostou muito, no fundo até que é um boa pessoa. Vale a pena.
Não sou lá de grandes sentimentalidades nessas épocas, mas tenho que admitir que é incrivel o que esse tal de 'Espírito de natal' faz com algumas pessoas.rs


E por falar nisso, Feliz Natal pra todo mundo!^^

9 de dez de 2009

Três

O tempo custa a passar e enquanto os ponteiros do relógio se arrastam preguiçosamente, aqui dentro vai crescendo um sentimento que há tempos havia me abandonado, a saudade se fez minha companheira desde a última viagem de volta. Na maioria das vezes ela é até silenciosa, mas basta uma lembrança para que ela volte a se manifestar.
Ultimamente tenho precisado de poucos motivos para me lembrar porque eu gosto tanto de lá e porque depois de tanto tempo ainda é onde eu me sinto segura. Letras de músicas, escuridões repentinas e até futebol me faz querer pegar aquela estrada de novo, aquele caminho que eu conheço tão bem, vontade de andar por aquelas ruas torcendo pra te encontrar, vontade que a noite demore pra acabar, vontade que o tempo pare ali. Vontade de não ter que ir embora, de te prender, de me prender e não deixar você se afastar. Vontade de te olhar nos olhos e dizer tudo aquilo que eu já ensaiei tantas vezes e como resposta ter o seu sorriso. Sorriso que eu vou guardar em um lugar só meu, que eu vou levar como consolo e lembrar toda vez que eu sentir saudade, até chegar o fim de mais uma contagem regressiva.

"A ciência confirma os fatos que o coração descobriu
Nos seus braços sempre me esqueço
De tempo, espaço e no fim...
[...]
Se a história for sempre assim
Melhor pra mim..."

6 de dez de 2009

' Não existe amor sem medo *




Uma vez flamengo,
Sempre flamengo.
Flamengo sempre, eu hei de ser.
É meu maior prazer vê-lo brilhar,
Seja na terra, seja no mar.
Vencer, vencer, vencer!
Uma vez flamengo,
Flamengo até, morrer!

Na regata, ele me mata,
Me maltrata, me arrebata.
Que emoção no coração!
Consagrado no gramado;
Sempre amado;
O mais cotado nos fla-flus é o 'ai, jesus!'
Eu teria um desgosto profundo,
Se faltasse o flamengo no mundo.
Ele vibra, ele é fibra,
Muita libra já pesou.
Flamengo até morrer eu sou!

                                                             
                                                  é HEXA, pai!^^               

                                                                             
                                                             ' Ainda bem que eu sou FLAMENGO!=D 
_____________________________________________
* Sim, porque aquele gol do Grêmio me assustou!rs

1 de dez de 2009

                                               Se fecho os olhos ainda me sinto como antes
                                                   Antes quando o olhar era profundo

                                             
                                                 
"Mas tempo passa e a gente muda
E onde havia mar hoje nem aquário
E ternos abraços em vestidos
Nem no armário"

                                             

                                             
                                                Você, estrangeiro em mim...