9 de dez de 2009

Três

O tempo custa a passar e enquanto os ponteiros do relógio se arrastam preguiçosamente, aqui dentro vai crescendo um sentimento que há tempos havia me abandonado, a saudade se fez minha companheira desde a última viagem de volta. Na maioria das vezes ela é até silenciosa, mas basta uma lembrança para que ela volte a se manifestar.
Ultimamente tenho precisado de poucos motivos para me lembrar porque eu gosto tanto de lá e porque depois de tanto tempo ainda é onde eu me sinto segura. Letras de músicas, escuridões repentinas e até futebol me faz querer pegar aquela estrada de novo, aquele caminho que eu conheço tão bem, vontade de andar por aquelas ruas torcendo pra te encontrar, vontade que a noite demore pra acabar, vontade que o tempo pare ali. Vontade de não ter que ir embora, de te prender, de me prender e não deixar você se afastar. Vontade de te olhar nos olhos e dizer tudo aquilo que eu já ensaiei tantas vezes e como resposta ter o seu sorriso. Sorriso que eu vou guardar em um lugar só meu, que eu vou levar como consolo e lembrar toda vez que eu sentir saudade, até chegar o fim de mais uma contagem regressiva.

"A ciência confirma os fatos que o coração descobriu
Nos seus braços sempre me esqueço
De tempo, espaço e no fim...
[...]
Se a história for sempre assim
Melhor pra mim..."

5 comentários:

Rα i sα ~ disse...

oi.
alguém quer minha opinião super imparcial?
não. né? tá, parei.

te amo, irmã!

Dan Souza disse...

É necessário???
Acho que não...
kkkkkkkkkkkkk

Te amo, irmã!!^^

Édille Ribeiro disse...

Estou postando aqui a minha indignação pela falta de respeito de Daniella. Tenho dito.

Édille Ribeiro disse...

Nossa... que horrivel!!!

Dan Souza disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Prometo que vou fazer um texto pra você, marida!!!;]