4 de nov de 2012


Hoje eu sonhei com você. Sonhei com seu colo, com seu beijo, sonhei com um carinho seu. Sonhei com aquele carinho que você costumava me fazer, segurando a minha mão por baixo da almofada. Lembrei  de como era divertido fazer tudo escondido. E por mais que todo mundo já tivesse percebido, a gente continuava fingindo. Passeios na praia, desenhos na areia e visitas que ninguém nunca desconfiou. Sinto falta. Sinto falta, mas estaria mentindo se dissesse que quero de volta. Apesar disso eu me arrependo de não ter deixado aquela janela aberta, de não ter deixado você entrar na minha vida de vez, eu achei que não fosse isso o que eu queria. Eu estava enganada. Agora eu já me acostumei a ter você por perto, mesmo que não esteja comigo, me acostumei a ver você feliz, mesmo que eu não seja a causa dessa felicidade. Até porque, não importa o motivo, o que importa é que você está feliz.

22 de jul de 2012

O anjo mais novo

"Enquanto houver você do outro lado, aqui do outro eu consigo me orientar" ( O anjo mais velho, Teatro Mágico)



Eu achava que essa era uma música de amor, e era, mas não do jeito que eu pensava. Depois que descobri que Anitelli tinha feito essa música para o irmão dele, ouvi de novo e vi que é o jeito que eu me sinto com relação ao meu irmão.
Sempre disseram que a gente era diferente, e que não é comum dois irmãos tão unidos. Talvez eles tenham razão, sempre achei mesmo que isso era de outra vida.
Uma vez me perguntaram: você e seu irmão fazem tudo juntos, é?
Fazemos. A gente viaja junto, estudamos na mesma faculdade, tem os mesmos amigos e vamos às mesmas festas. Algumas vezes ele até insiste pra eu ir junto. Estranho? Eu não consigo achar.
Meus pais são minha vida, mas meu irmão me passa uma segurança e uma força, que talvez eu não tivesse sem ele. Uma certeza de que, independente de qualquer coisa, eu nunca vou estar sozinha. Ele é meu porto seguro e toda a minha força.
Eu admito que muitas vezes eu sou chata, pego no pé e fico me preocupando à toa, mas é porque ao contrário de Anitelli, o meu anjo é mais novo e eu não consigo não cuidar.
Dizem que os amigos são os irmãos que a gente escolhe, e eu escolhi alguns, mas, além disso, eu também escolhi o meu irmão para ser meu amigo.
E esse é o meu segundo presente de aniversário para você, seu chato! ^^ 


31 de mai de 2012

Platonicidade

Eu me senti bem pequenininha. Já tinha pensado que poderia ser difícil, mas nunca imaginei que poderia ser impossível. Depois de muito pensar e planejar, tudo chegou ao fim antes mesmo de começar. Cheguei a imaginar inúmeras vezes como tudo aconteceria e agora eu descobri que simplesmente não pode acontecer. Fiquei pensando em como seria encontrar ele de novo depois disso, mas nada mudou. Aquele olhar  ainda me deixa nervosa, me faz gaguejar e falar um monte de besteira. Aquele sorriso me deixa tonta e eu nunca sei o que fazer com as mãos. As palavras saem meio atropeladas, eu perco o equilíbrio, ele me segura e ri. Ah, se ele soubesse que o simples toque de suas mãos me faz tremer. O coração bate descompassado e a respiração fica acelerada. A gente conversa, ri, mas eu nunca olho nos seus olhos. É como se eu tivesse voltado aos  meus treze anos e estivesse vivendo de novo aqueles amores platônicos. Mas talvez isso não seja tão ruim.

15 de abr de 2012

Sem ressentimentos

Não sinto mais saudade.
Pensei que esse dia nunca fosse chegar, mas finalmente me sinto livre. Não vou dizer que tudo foi simplesmente apagado, as lembranças boas permanecem, mas a vontade de reviver tudo aquilo, acabou. Já não faço mais planos para te reconquistar, já não fico sonhando acordada com o dia que vou te ver de novo, meus dedos já não ficam coçando querendo digitar seu número, principalmente quando vejo o Flamengo ganhar, já não fico tentando imaginar qual foi o motivo de mais uma prova de maturidade, não me importa. Não lamento ter te conhecido, não lamento o tempo perdido com tentativas inúteis, nem lamento não te ter mais na minha vida. Passei tanto tempo pensando em tudo que a gente poderia ter vivido, que esqueci de pensar em tudo que a gente viveu. Foi bom e não me arrependo. Não quero passar uma borracha em tudo, só estou aliviada por finalmente guardar essas lembranças junto com todas as outras. Foi um período bom, mas acabou, finalmente acabou.

2 de abr de 2012

' Foi jogo suspenso no auge da festa

O tempo é uma coisa bem esquisita. Como explicar que só se passaram vinte dias, quando se tem a sensação de que já se passaram alguns meses? Como dizer que sinto falta do que durou tão pouco? E como admitir? Como eu vou explicar que eu sinto falta de tantas coisas, se o tempo foi tão curto? Principalmente quando se tem a sensação de que fizemos isso tudo durante muito tempo e não só por uma semana?
Eu queria reduzir esses quase três mil quilômetros, para menos de um metro. Queria falar contigo sabendo que não ia demorar muito pra te ver de novo. Queria que oito meses se passassem em uma semana. E queria ter a certeza de que até lá, nada vai mudar.
É chato admitir, mas eu sinto falta de todas aquelas pequenas coisas.

video