29 de out de 2008

Falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo

Ela abriu o guarda-roupas e tomou um susto com a bagunça. Resolveu arrumar.
No meio da bagunça, encontrou uma caixa de sapatos cheia de recordações e dentro dessa caixa havia uma caixa menor, rosa e em forma de coração, pegou-a com carinho e abriu, dentro da caixa dançava uma bailarina linda e enquanto ouvia aquela música seus olhos se encheram de lágrimas, depois que a música acabou ela deu mais corda e começou a analisar o que tinha dentro da caixa. Encontrou embalagens de bombons, bilhetinhos e cartões, cartões que lhe diziam o quanto era especial e que lhe prometiam a eternidade, ela sentiu saudade e a lágrima finalmente caiu. Ela guardou as coisas e sentou na frente do computador, tinha muito trabalho pra fazer, mas não conseguia se concentrar. Desistiu de trabalhar, colocou uma música e foi relaxar, mas a música dizia tudo que ela estava sentindo e novamente a saudade apertou, sabia que ali não era onde queria estar.
Ela começou a pensar em outras coisas e lembrou de um menino que a encantou no inicio do semestre, gostava de sua companhia e ele a divertia, desde o inicio ela sabia que não daria certo, mas insistiu burramente. Ele se mostrou imaturo e infantil, uma pessoa que só se preocupava em mostrar aos outros o quanto ele era bom e que por isso tinha quem quisesse. Ela sabe que foi uma idiota caindo na lábia dele, mas não admite, sempre disse que tinha tudo sob controle, apesar de saber que não resistia a tanta proximidade.
Depois de tanto tropeçar, ela caiu em mais uma provável história feliz, mas dessa vez ela está bem mais cautelosa, não quer se precipitar de novo, afinal, como ela leu uma vez: Tudo pode acontecer, inclusive nada!


“Ela diz que apesar de tudo ela tem sonhos
Ela diz que um dia a gente há de ser feliz
Se Deus quiser!”




__________________________
P.S.: Kon ainda dorme comigo! :)

24 de out de 2008

Nazista?! Oo


Eu estava na internet, fazendo um trabalho, quando me deparei com essa foto.
Lembrei que uma vez eu estava numa comunidade que falava sobre a segunda guerra mundial, quando apareceu um garoto e começou a fazer apologia ao nazismo, eu poderia só achar idiota e deixar pra lá, mas o que me chamou atenção é que o menino era negro. Ele dizia um monte de besteiras, dizia que ele tinha nascido num corpo negro, mas que a alma dele era branca, que Hitler era isso, que Hitler era aquilo e que o nazismo era maravilhoso. Um discurso muito bonitinho, mas eu fiquei pensando, será que ele acha que se ele estivesse na Alemanha nazista e dissesse que ele era negro mas com alma branca, que os alemães iam achar bonitinho e iam deixar ele solto?!
Acho que esses garotos, tanto o da comunidade quanto o da foto, deveriam estudar mais um pouquinho de história para perceberem que para os nazistas pouco importava ideologias, o que interessava era se você era ariano e ponto, não adiantava você abaixar a cabeça e dizer que concordava com o Führer se você não era da “raça pura”. Você ia pra campos de concentração do mesmo jeito.


Sem mais comentários...





prochainement!

20 de out de 2008

A volta das borboletas

Esses dias foram confusos, eu recebi uma noticia no mínimo estranha, mas foram sem dúvidas dias maravilhosos.
Filme das formiguinhas, vídeos engraçados, noites acordada falando besteira, um olhar, um abraço, um toque nas mãos, algumas horas na praia e muita conversa jogada fora.
Quem foi que disse que a felicidade é feita das pequenas coisas?
Pq eu concordo plenamente! =D
Eu tinha dito que não queria as borboletas aqui, mas elas são insistentes e voltaram com força total(e eu tô adorando.rs)!


"Vento, ventania
Me leve sem destino"



.

9 de out de 2008

Socorro, não estou sentindo nada!

Hoje acho que só Arnaldo Antunes conseguiria traduzir o que eu estou sentindo...
Acordei sem vontade...
Sem vontade de conversar, sem vontade de acreditar, sem vontade de ter paciência, sem vontade de sentir o que quer que seja, seja amor ou dor...
Estou sem vontade.
Há alguns dias, eu li um texto que falava de borboletas (
http://kizabelle.blogspot.com/2008/09/borboletas-na-barriga.html), aquelas que ficam na nossa barriga fazendo cócegas quando um certo alguém aparece, eu também sentia essas tais borboletas, mas hoje elas simplesmente desapareceram, foram sem deixar nenhuma pista, sem dizer se voltam ou se foram de vez.
Mas hoje eu também estou sem vontade de sentir tais borboletas, hoje elas nem fazem mais sentido. Aliás, hoje nada tem feito sentido.
Nem as músicas que falam de saudade conseguiram me tocar...
Não gosto de ficar assim, mas estou sem força, sem ânimo e sem vontade de mudar o dia.




"Socorro, alguém me dê um coração
Que esse já não bate, nem apanha"




.

7 de out de 2008

.



"Acho que eu fico mesmo diferente
Quando eu falo tudo o que penso realmente
Mostro a todo mundo que eu não sei quem sou
Eu uso as palavras de um perdedor"




.