18 de mai de 2011

"Quanto tempo será que demora
Um mês pra passar?

A vida inteira de um inseto
Um embrião pra virar feto
A folha do calendário
O trabalho pra ganhar o salário.

[...]

Ser campeão da copa do mundo
Um dia em Saturno
Pra criança que não sabe contar vai levar um tempão."

14 de mai de 2011

' Mais um dia normal na cidade de Townsville

Para um pessoa que é constantemente perseguida pela Lei de Murphy, uma sexta-feira 13 é um dia especial.
Eu acordei no mesmo horário de sempre e cheguei no ponto um pouco antes da hora que meu ônibus costuma passar. Mas ele não veio. Resolvi pegar um ônibus em outro lugar, andei uns 15 minutos até chegar no outro ponto, mas lá também não estava passando ônibus. Os rodovários estavam em greve. Quando eu finalmente consegui chegar na faculdade eu estava uma hora atrasada e meu professor estava passando um filme meloso em preto e branco.
Se não fosse por causa da prova que eu teria no segundo horário, eu tinha desistido até de acordar nesse dia. Mas quando acabou a primeira aula, a minha professora avisa que por conta da greve dos rodoviários a prova seria adiada para não prejudicar quem não conseguiu chegar. Resultado: perdi o aniversário da minha tia para estudar e me estaboquei toda pra chegar na faculdade pra fazer uma prova que foi cancelada.
Mas isso foi só a minha manhã.
Nesse mesmo dia meu pai decidiu inaugurar a lanchonete dele e me pediu pra ajudar. Meu pai mora em uma cidade vizinha. De tarde eu arrumei minha mochila e fui pegar um ônibus pra rodoviária, eu já estava atrasada e quando eu estava chegando no ponto vi meu ônibus passar do outro lado da rua. Esperei pacientemente pelo próximo (que demorou pra chegar) e fui pra rodoviária. Quando cheguei na fila pra comprar minha passagem faltava dez minutos pra sair o próximo ônibus, mas uma mulher resolveu discutir com a moça do balcão e o homem que estava na minha frente resolveu trocar a passagem dele e demorou tanto que eu perdi meu ônibus. Cheguei na casa do meu pai tarde, cansada e ainda trabalhei a noite inteira com ele na lanchonete.
Foi ou não foi um dia perfeito???^^

10 de mai de 2011

Fuga

Só nós dois entediamos o motivo de estarmos juntos, ele, claro, não precisava explicar nada a ninguém, mas eu era questionada o tempo inteiro. Ninguém entendia o porque de eu ter me metido naquilo. Mas a verdade é que eu fiquei com ele porque eu sabia que ele não se apaixonaria e consequentemente não se magoaria. Ou pelo menos era o que eu queria acreditar.
Mas o que era pra ser só diversão, acabou virando visitas constantes, beijos em público, passeios de mãos dadas e palavras um pouco mais doces. Eu nunca tinha sequer considerado a possibilidade de me apaixonar por ele, mas foi o que aconteceu. Naquela época, fugir de paixões era a minha maior especialidade e foi o que eu fiz: simplesmente fugi.
Só muito tempo depois nós conversamos sobre aquela época. Ele disse que tinha se apaixonado por mim, que ainda era apaixonado e que queria me ver. Eu tinha esperado bastante tempo pra ouvir aquilo e quando ele disse eu fiquei confusa, mas concordei em encontrar com ele. Mas na última hora eu perdi a coragem e não fui.
Eu achei que já tinha acabado o tempo de fugir de paixões, mas parece que isso ainda é o que eu faço de melhor.
Talvez ele tivesse razão quando no dia seguinte me disse que poderia ter sido diferente, que a culpa de não ter dado certo é minha, mas é melhor assim. É mais seguro ficar sozinha.

8 de mai de 2011

' Ontem mesmo pude ver tudo o que eu tinha e deixei pra trás

A alegria que eu estava sentindo era proporcional a quantidade de quilômetros que ia passando, quanto mais eu me afastava da cidade dos meus problemas, mais feliz eu ficava. Aos poucos a paisagem foi se tornando bem familiar, eu vi um certo rio e uma certa ponte, vi uma cidade verde (ou laranja ou azul), a cidade que eu não conheço por dentro e uma certa estrada de terra que leva a um lugarzinho especial. E quando apareceu a placa de "bem-vindo", eu já estava explodindo de alegria.
Passear pelas ruas que me trazem tantas lembranças boas me fez um bem incrível. Tomar café na padaria perto da minha antiga casa, visitar minha pessoa especial que eu não via há tanto tempo e falar besteira a noite inteira, fazer coisas que há tempos não fazia, visitar lugares que antes fazia parte da rotina e conhecer outros tantos, ver pessoas que eu não via há muito tempo e conhecer outras novas, ver as paisagens que eu via todos os dias e ainda assim me surpreender com a beleza delas e lembrar o quanto eu era feliz e sabia!
As vezes eu sinto muita vontade de voltar pra lá, voltar pra vida que eu tinha, com as pessoas que eu tinha e até com os problemas que eu tinha. A vida era tão simples.
Mas é assim mesmo, fica a saudade (muita!), mas a vida continua. Ela sempre continua!

2 de mai de 2011

Aquele triz

Vocês já estão cansados de saber que o acaso é sempre presente na minha vida, tanto para o bem, quanto para coisas que não são tão boas assim, mas independente de qualquer coisa, ele sempre está lá.
Eu acho que uma vida sem acaso, é uma vida sem graça. Qual o sentido de viver uma vida toda certinha, sem nem saber o que é passar o dia inteiro enfrentando diversos "perigos" para chegar no seu destino? São justamente essas coisas que fazem a gente ficar mais fortes e mais alertas, e se tiver bom humor, a gente até se diverte um pouquinho.
Perder o ônibus com frequência pode fazer a gente acordar mais cedo, viver tropeçando nos próprios pés podem nos fazer desistir de usar salto (pra não facilitar o trabalho do acaso), ser molhada toda vez que um carro passa por uma poça d'água pode fazer a gente aprender métodos de esquiva surpreendentes e passar horas esperando um ônibus que não chega pode fazer a gente conhecer pessoas bem especiais, ou não.
Além disso, é tão compensador quando a gente dribla o acaso e, por exemplo, corre pra pegar um ônibus e chega bem a tempo. Parar e dizer: Ufa! Foi por um triz. As vezes é o mesmo que dizer: Não dessa vez, querido acaso!
Eu passo por esse tipo de coisa todos os dias e muitas vezes eu sou recompensada pelo estresse que esses eventos me causam e eu não quero ficar sem eles, porque são esses casos do acaso que tornam a minha vida tão divertida.
Então só me resta agradecer e pedir ao acaso: por favor, não deixe nunca minha vida ficar tão chata!

1 de mai de 2011

" Toda vez que toca o telefone
Eu penso que é você
Toda noite de insônia
Eu penso em te escrever
Pra dizer
Que o teu silêncio me agride
E não me agrada ser
Um calendário do ano passado
Prá dizer que teu crime me cansa
E não compensa entrar na dança
Depois que a música parou
A música parou

Toda vez que toca o telefone
Eu penso que é você
Toda noite de insônia
Eu penso em te escrever
Escrever uma carta definitiva
Que não dê alternativa
Prá quem lê
Te chamar de carta fora do baralho
Descartar, embaralhar você
E fazer você voltar

Ao tempo em que nada
Nos dividia
Havia motivo pra tudo
E tudo era motivo pra mais
Era perfeita simetria
Éramos duas metades iguais

[...]

Então pegue o telefone
Ou um avião
Deixe de lado
Os compromissos marcados
Perdoa o que puder ser perdoado
Esquece o que não tiver perdão
E vamos voltar aquele lugar
vamos voltar

Ao tempo em que nada
Nos dividia
Havia motivo pra tudo
E tudo era motivo pra mais
Era perfeita simetria
Éramos duas metades iguais "