2 de mai de 2011

Aquele triz

Vocês já estão cansados de saber que o acaso é sempre presente na minha vida, tanto para o bem, quanto para coisas que não são tão boas assim, mas independente de qualquer coisa, ele sempre está lá.
Eu acho que uma vida sem acaso, é uma vida sem graça. Qual o sentido de viver uma vida toda certinha, sem nem saber o que é passar o dia inteiro enfrentando diversos "perigos" para chegar no seu destino? São justamente essas coisas que fazem a gente ficar mais fortes e mais alertas, e se tiver bom humor, a gente até se diverte um pouquinho.
Perder o ônibus com frequência pode fazer a gente acordar mais cedo, viver tropeçando nos próprios pés podem nos fazer desistir de usar salto (pra não facilitar o trabalho do acaso), ser molhada toda vez que um carro passa por uma poça d'água pode fazer a gente aprender métodos de esquiva surpreendentes e passar horas esperando um ônibus que não chega pode fazer a gente conhecer pessoas bem especiais, ou não.
Além disso, é tão compensador quando a gente dribla o acaso e, por exemplo, corre pra pegar um ônibus e chega bem a tempo. Parar e dizer: Ufa! Foi por um triz. As vezes é o mesmo que dizer: Não dessa vez, querido acaso!
Eu passo por esse tipo de coisa todos os dias e muitas vezes eu sou recompensada pelo estresse que esses eventos me causam e eu não quero ficar sem eles, porque são esses casos do acaso que tornam a minha vida tão divertida.
Então só me resta agradecer e pedir ao acaso: por favor, não deixe nunca minha vida ficar tão chata!

Nenhum comentário: