8 de dez de 2008

27 horas no país das maravilhas

Confesso que fiquei um pouco insegura com a idéia de passar uma tarde no shopping, com uma criança sem a mãe por perto, mas quando ela aceitou a bala e segurou em sua mão, me despreocupei, ele sabia como cuidar.
Foi a melhor tarde dos últimos meses...
Vê-la se divertindo nos brinquedos, oferecendo as duas últimas batatinhas, fazendo cavalinho e me puxando pela mão pra jogar o papel de bala no lixo, o jeito como ela prestava atenção enquanto ele explicava o porquê das coisas e a forma como ela aprendeu...
No fim do dia, eu já tinha passado de “Priminha” pra “Tia Dani”. Foi uma tarde maravilhosa e eu quero de novo. rs
Ontem me cativaram por completo, ela e ele.
Hoje pude (tentar) colocar em prática o que eu o vi fazer ontem e digamos que não foi um fracasso, pelo contrário, deu tudo certo e estou muito feliz, principalmente pela parte que ela disse: Vamo arrumar tudo de novo, tia Dani, tá uma bagunça!
É, ela aprendeu mesmo! =D
Alice, a minha princesa!

3 comentários:

KeepWalking disse...

E a saudade bate
o orgulho se expoe
daquela velha nova amirmã
que conseguiu como eu previa
dá certo na vida de gente grande
e mais uma vez esse "piu - piu" da tia conseguiu voar mais alto

e a dandara no paises das supostas maravilhas tem todo o amor desse velho irmão grato por tudo.. que te ama demais..
=D

Diego! disse...

Crianças têm esse poder. Comigo sempre é uma festa ficar tomando conta de alguma criança em situações como essa.
Das comportadas é claro!

Até...

Victor Moraes, disse...

é nessas horas que entendo Xuxa.
hahaha
crianças são um banho de energia,
melhor: de lições.
se preocupam com a única coisa que se deve realmente preocupar-se: diversão.
Como diria Elis, se a gente não se divertir o que mais a gente pode fazer?