20 de fev de 2008

Bom Dia!

Passei muito tempo olhando pra esse título, tentando achar palavras que mostrem o que essa frase representa pra mim...
Normalmente é uma frase que as pessoas dizem quase que maquinalmente todos os dias, mas não pra mim...
Todos os dias que eu chegava no colégio e escutava ‘aquele’ ‘bom dia’, eu tinha certeza que o dia realmente seria bom, não era um simples ‘bom dia’, era um ‘bom dia’ sincero, que me trazia alegria por mais triste e chateada que eu estivesse, era o que tornava o meu dia especial, era a minha compensação por ter que acordar cedo todos os dias pra ir pra escola...
Era um ‘bom dia’ revelador...
Depois dele eu sabia o que viria...
Planos na escada do colégio, trocas de bilhetinhos nas aulas, a brincadeira do ‘ou’, passinhos de dança em qualquer lugar, gritos(sim, pq a gente não falava, a gente gritava), mais conversas na porta do colégio no final das aulas, as broncas quando chegávamos em casa atrasados pro almoço...

A gente incomodava... MUITO!
Incomodava pq a gente era feliz constantemente e felicidade alheia sempre incomoda...
Incomodava pq a gente era diferente e todo mundo percebia isso...
Incomodava pq éramos capazes de fazer qualquer coisa e fazíamos muito bem!

A gente incomodava por sermos nós mesmos sempre!

Hoje ninguém mais me diz ‘bom dia’ nem ‘boa tarde’ e o ‘boa noite’ é dito quase maquinalmente... não é sincero!

Continuo dando ‘bom dia’, ‘boa tarde’ e ‘boa noite’ pra todos, mas continuo sem respostas...



Ai que saudade do meu ‘bom dia’...


aquele acompanhado de um sorriso e de um abraço bem apertado que normalmente me tirava do chão!

3 comentários:

Victor Moraes, disse...

Booooooom Dia!!!!

me faz chorar. era um ato simples, simplerrimo. a sinceridade, e mais do que isso, o amor; fazia daqueles pequenos atos enormes momentos que guardamos pro resto da vida e pensamos quando queremos nos refugiar pra uma época de amizade, amor e sensação de mundo completo.

Amigos. Queridos amigos. Numa jura de amizade eterna que vida tenta separar, com distancia e ausência física.
É uma amizade abençoada pelos Deuses,
com a lua refletida nas taças do brinde de promessas.

É tudo que vamos contar pro nossos filhos, novos amigos, e escrever nos livros.

Victor Moraes, disse...

te amo

Man C= disse...

dá vontade de voltar no tempo
e parar tudo, não é?




aaai que saudade...