19 de nov de 2011

' Eu estava mais acostumada ao desencontro

Mas aí vem você me falando de um jeito tão doce, tão tímido e traz de volta aqueles sentimentos que há tanto tempo eu tinha guardado na nossa caixa de recordações. Aquela caixa que ficou muito tempo escondida em cima do armário e que eu me recusava a olhar.
Mas não foram só os sentimentos que saíram de lá e voltaram para a rotina normal, aos poucos as mágoas foram desaparecendo e eu voltei a olhar aquela caixa até com simpatia. Voltei a usar os brincos, a corrente, o anel e até li o livro (que não sai de perto de mim). As fotos pararam de incomodar. Até olho para elas as vezes e me dá saudade de certos momentos, dos sentimentos, da segurança que eu sentia. Tenho vontade de ligar, de conversar coisas banais, de ouvir aquelas frases bestas que só a gente dizia. Queria te contar as milhares de novidades e saber da sua vida, dos seus planos. Queria te contar que o estágio tá legal e te perguntar se você ainda tem que ver aquele cara chato do trabalho todos os dias. Queria te chamar pra dançar, te encontrar de surpresa e pular em você. Queria te mostrar como a minha camisa do Flamengo é linda e que o meu cabelo já tá grandão de novo. Mas eu não vou fazer nada disso. Não é certo e nem é justo. Mas mesmo preferindo ficar quietinha no meu canto, eu queria que você soubesse. Eu gosto de você.


[Escrito, em um caderno qualquer, em 28 de junho de 2011]

2 comentários:

Acaso da Silva disse...

digamos que o cara chato do trabalho não é mais o cara chato do trabalho porque mandei ele "procurar alguem fazer o trabalho que eu faço pela grana que eu ganho" ;)

ps: dig din, dig din!

Dan Souza disse...

Essa sim é uma boa noticia!!!^^