20 de jan de 2009

Onde é nove da tarde...

Ele foi um dos maiores responsáveis por suas mudanças.
No dia em que o conheceu ele lhe disse que ela não sabia se impor. Realmente nunca soube.
Depois disso ela percebeu que não era só isso que tava errado. Era fraca e sempre fez o que os outros queriam, nunca se preocupou muito com suas próprias vontades e a partir daquele dia decidiu mudar. Não foi de uma hora pra oura, mas depois de dois meses já melhorou muito.
Gostava de meninos canhotos e que tocassem violão, esse era seu “tipo”, até que ele apareceu. Não é canhoto, não toca violão e é fumante. Era tudo que ela não procurava.
Chegou dizendo coisas que ela não queria ouvir, mas que sabia que era necessário e em pouco tempo ele ganhou sua confiança. Passou a prestar mais atenção naquele menino de cabelos desalinhados e que tem girassóis nos olhos. Não importava se ele tocava violão ou não, até com o cheiro do cigarro se acostumou. Talvez aquele fosse o “tipo” de garoto que ela queria agora.
O que importa que nome tenha? Namoro ou rolo, tanto faz, contanto que ele esteja do seu lado...

* I’m yours

Um comentário:

Rα i sα ~ disse...

ui.
AGORA isso é tudo que ela quer/precisa
... que o agora dure muito ainda.


p.s.: falando em agora,
coisa era ela antes, meu querido ... até de cachorrinha* eu chamei.
* a pessoa chuta, ela volta feliz e abanando o rabinho.

TE AMO DEMAIS, MULHER RENOVADA! RS