28 de set de 2008

Uma parte que não tinha

O último post falava do tempo e de como eu teimo em querer controlá-lo, falava dos meus planos e do meu desapontamento quando eles não dão certo.
Um dia me disseram que eu devia “improvisar” de vez em quando, que eu devia parar de planejar tanto e relaxar um pouquinho. Na hora eu achei um absurdo, mas hoje eu me dei conta que não é bem assim, as vezes é necessário desistir de certos planos e isso nem sempre é ruim, pelo contrário, as coisas ficam até melhores.
Nunca gostei dessa história de não poder controlar as coisas, mas agora eu sei o quanto é bom, por exemplo, sair com os amigos sem saber onde ir ou que horas volta e se vai ser um luau ou só uma conversa no acarajé de Ném. Pensando bem, fazer as coisas sem planejar é muito mais divertido e um imprevisto as vezes é muito bem vindo.
Ainda não tenho coragem de viajar sem dinheiro pra voltar pra casa, mas já percebi que um final de semana “improvisado” pode ser muito melhor do que um final de semana cuidadosamente planejado.





*

3 comentários:

Victor Moraes, disse...

s-a-u-d-a-d-e.
planejado ou não,
com as pessoas certas é
sempre bom! amo você!

Teresa disse...

é...
na vida, não planeje tanto.
as melhores coisas acontecem por acaso.
adoro o acaso.
ele é imprevisível.

=)

Diego! disse...

Tudo pode ser divertido...
só dá uma chance!


até....